Michel Temer vai ser preso após deixar presidência? Veja o que ele disse

Mai 08

O presidente Michel Temer concedeu entrevista à rádio CBN nesta segunda (7); confira.

Desde que assumiu o cargo de presidente da República, Michel Temer tem sido um dos políticos mais comentados dos últimos anos. Segundo algumas pesquisas, ele tem um alto índice de rejeição da população brasileira, mas, ainda assim, afirma ser um presidente que tem trabalhado para o progresso do país.

Nesta segunda-feira (7), Temer concedeu uma entrevista à rádio CBN, na qual fez revelações muito polêmicas e que rendeu milhares de comentários de internautas. Ele disse que não tem medo de ser conduzido à prisão quando deixar a presidência e que tal ato seria considerado indigno.

Vale ressaltar que o presidente é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF).

Temer confessou que tem consciência que possíveis provocadores têm avaliado a possibilidade de medidas contra ele assim que deixar o Palácio do Planalto. O presidente disse que não teme ser preso e que lamentava ter que comentar sobre isso no difícil momento que o país enfrenta.

Também vale ressaltar que, em um dos inquéritos abertos, Temer é investigado por supostamente ter recebido propina na edição do decreto dos portos, que beneficiaria na concessão da licença para uma empresa. A acusação tem sido negada pelo presidente, que garante estar confiante e sem peso na consciência.

No outro inquérito, a Justiça investiga situações que indicam que o presidente teria recebido pagamentos de propina da construtora Odebrecht, que teria destinado dinheiro para o MDB entre os anos de 2013 e 2015.

O relator do inquérito dos portos no Supremo Tribunal Federal, o ministro Luís Roberto Barroso, também se manifestou na manhã desta segunda-feira e prorrogou as investigações da Polícia Federal pelo período de mais 60 dias.

A ampliação do prazo foi um pedido da PF.

Segundo Temer, esse inquérito já deveria ter encerrado, pois o crime já foi “derrubado". “É um inquérito para investigar um assassinato que não tem cadáver", acrescentou.

Já no final da noite deste dia, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que ainda desconfia da prorrogação do inquérito e que tudo está sendo feito para prejudicar a imagem do governo de Temer. O ministro ainda fez um apelo esperando que o motivo não seja de fato o que ele supõe.

O que dizer sobre o foro privilegiado

Michel Temer também comentou sobre o foro privilegiado, onde completou que isso não o deixa preocupado. Vale lembrar que na semana passada, o STF decidiu limitar o foro de deputados e senadores.

Atualmente, já tramita uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) no Congresso Nacional que põe um fim ao foro privilegiado. Temer perderá o direito a ao foro privilegiado quando deixar o cargo no final de dezembro. As ações contra ele passarão a tramitar na Justiça de primeira instância.

Loading...

Categorias

Últimas Postagens

Título da postagem com limitação de caracteres.

Subtítulo da postagem com limitação de caracteres.

Notícias de Última Hora